Ministério da Saúde discute redução do intervalo da aplicação das vacinas da covid-19 e aplicação em menores de 18 anos

O Ministério da Saúde irá discutir com os estados e municípios a redução do intervalo na aplicação das vacinas da AstraZeneca e Pfizer, que atualmente são aplicadas no país com um intervalo de 12 semanas. A decisão final ficará para ser decidida na quinta-feira (15) pela Comissão Tripartite do SUS, que é composta por governo federal, estados e municípios.

Um outro assunto será em relação a imunização de pessoas menores de 18 anos, que atualmente são excluídas de receber o imunizante.

A justificativa para as discussões é devido a vacina da Pfizer, ter na bula, a recomendação do intervalo para o reforço com a segunda dose num período de 21 dias. O imunizante da AstraZeneca recomenda o intervalo de 8 a 12 semanas, e o Brasil vem adotando o período maior.

A discussão também se fundamenta na situação de variação que a SARS-Cov-2 vem tendo, pois, alguns estados já confirmaram a variante Delta, e a farmacêuticas afirmam que somente o esquema vacinal completo pode ser eficaz com as novas cepas do coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui