A necessidade humana de se agrupar e se compor em sociedade

“É por meio da vida grupal que pessoalmente o homem encontra a segurança, status, poder e pode alcançar metas.”

Por Alaor Bruno

Parece fácil responder o porquê das pessoas se reunirem em grupos, pois sem este, a raça humana não estaria onde está, não resistiria os apocalipses vividos ao longo dos vários anos da existência humana. Não seria possível o desenvolvimento na arte, na ciência, na literatura, na dramaturgia, na tecnologia, na intelectualidade, na religião, na política e tantas outras áreas que compões as dimensões da vida humana.

Mas a resposta pode ir além destas afirmações, pois estas contemplam os aspectos sócios das vantagens de se reunir em grupo. Há ainda uma série de fatores individuais que fazem com que os seres humanos se reúnam em grupos. É por meio da vida grupal que pessoalmente o homem encontra a segurança, status, poder e pode alcançar metas. 

Segurança: quando se está em grupo o indivíduo se sente seguro por que está na presença de outro, esta presença pode ser um fundamento de certeza de que se algo acontecer alguém estará por perto para defender, prestar socorro, para confortar, para ouvir, para dar força e se solidarizar. O homem moderno sempre busca a segurança de que seus dias serão sempre amenos, sempre em consonância com o bem, mas nem sempre é assim, por isso ele se agrupa para que possa ser mais forte e resistir as intempéries da vida.

Essa segurança também está no fato da pessoa ser autoconfiante, acreditar que ela é capaz de somar na família, na vida comunitária de um modo geral, de poder saber que ela é capaz de realizar coisas magnificas, de tomar atitudes difíceis, de agir com a medida necessária nos momentos em que a vida exigir ações mediante os possíveis conflitos que se possa existir.

Status: é outra motivação para se estar em determinados grupos, aos quais estes podem ser bem quistos na sociedade pelo fato de pertença a determinados grupos sociais, ou certas castas da sociedade que tem padrões de vida diferente dos demais.

Estar em determinados lugares com certas pessoas, estar em grupos de influência social, pertencer a entidades, igrejas, etc., faz a pessoa não notada ser notada socialmente, pelo fato de pertença a determinados grupos ou movimentos, dependendo do caso ela pode até ganhar o rótulo do grupo ao qual pertence, e isso é bastante comum na sociedade. O fato é que para ser algo na sociedade deve estar vinculada a alguma coisa.

Isso diz muito sobre a identidade que o indivíduo constrói de si no meio social, é como aquele velho ditado: “me diz com quem tu andas e eu te direi quem tu és”, esta frase resume em breves linhas o que significa pertencer a determinados grupos e se identificar com ele, se fazer presença social por meio dele, agir em detrimento das normativas deste grupo, ser moldado por meio do ambiente em que se buscou inserir.


Leia também: A promoção de uma ética ambiental, sem psicose ambientalista


Poder: todo ser humano ama o poder e vai sempre direcionar suas energias para a obtenção de poder, sempre foi assim e continuará sendo, pois, a busca pelo poder é algo intrínseco ao homem. Toda trama social parte da busca pelo poder, pelo domínio social, pela capacidade de influenciar os demais por meio da autoridade pessoal. Para Diogo Moreira (apud ESG, 1996): “O poder é um fenômeno social no qual uma vontade, individual ou coletiva, se manifesta com capacidade de estabelecer uma relação da qual resulta a produção de efeitos desejados, que de outra maneira não ocorreriam espontaneamente”.

O poder é talvez a maior força motivadora da espécie humana. Se fizemos uma análise histórica da humanidade vamos perceber que por causa de poder, as ações humanas sempre foram incisivas na conquista, poder tão desejado. Para se chegar ao domínio é necessário que grupos e organizações estejam sobre a posse do que almeja poder, por isso eles são tão necessários. Um exemplo que podemos usar é o de Hitler que para chegar a obter poder ele começa lá nas bases organizando o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, era necessário que ali ele consolidasse seu poder para liderar os membros em direção aos seus objetivos.

Metas: Por fim o homem se associa a determinados grupos para alcançar metas como falado acima a própria busca pelo poder é uma meta a ser buscada por aquele que se propõe a se associar a determinados grupos ou agremiações. As metas são norteadoras que indicam para onde se dever ir, aonde se quer chegar, os grupos podem se colocar como meios para atingir determinadas metas aos quais ele empregará suas ações para alcançá-las.

Estabelecer metas é dar certa organização para aquilo que se pretende, isso pode ser uma motivação para se estabelecer em determinados grupos. Podemos usar como exemplo uma pessoa que quer ser candidato em próximas eleições e começa a participar da vida de alguma organização religiosa para ter certa notoriedade, começa a participar de organizações caritativas, se faz presente em eventos, busca o máximo locais onde tem várias pessoas, tudo na busca de seu ideal que é ganhar as eleições. A meta está posta para direcionar o agir nos determinados grupos.

As pessoas sempre tendem a se reunir em grupos por ser este essencial ao desenvolvimento da pessoa ao qual está por sua vez se aprimora, aperfeiçoa, busca seus objetivos alcança suas metas, tem segurança reforçando sua autoestima. Aos grupos se ligam por meio de gostos comuns, metas comuns, estilo de vida semelhante, forma de pesar parecidos. O homem ser social sempre se organizará em grupos, a própria família base social é a maior expressão grupal da realidade humana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui