Pesquisas da corrida presidencial mostram resultados muito divergentes em curto espaço de dias

Na última sexta-feira (06) a empresa Paraná Pesquisas indicou que na corrida presidencial, o presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para a disputa presidencial para 2022. Bolsonaro se mostra a frente em todos os cenários, em relação aos outros candidatos, do 1° turno, com percentuais que variam de 31,9% a 37.6%. Já nesta quarta-feira (12) o Instituto Datafolha aponta que na corrida presidencial o ex-presidente Lula está com 41% das intenções de voto, e Bolsonaro 23%, para o 1° turno, saindo vitorioso no 2° turno com 55% ante 32%.

A pesquisa do Paraná Pesquisas entrevistou 2.080 eleitores de 196 municípios das 27 unidades federativas. Já o Datafolha entrevistou 2.071 pessoas em 146 cidades. A margem de erro de ambas as pesquisas é de dois pontos percentuais.

Os resultados das pesquisas são bem diferentes, num cenário de cinco dias de diferença, o resultado demostrou um novo vitorioso para a corrida presidencial.

A pesquisa da semana anterior demostrou que as críticas à gestão do atual presidente da República, frente à crise da covid-19, não tiveram impacto sobre a competitividade do mesmo em termos eleitorais.

O Paraná Pesquisas no cenário de Bolsonaro com o ex-presidente Lula, Moro, Ciro, Doria, Boulos, Amoêdo e Mandetta, foi o seguinte: Bolsonaro (sem partido) com 32,2%, Lula (PT) 18%, Moro (sem partido) 11,6%, Ciro (PDT) 8,7, Doria (PSDB) 5,3%, Boulos (Psol) 3,5%, Amoêdo (Novo) 3% e Mandetta (DEM) 1,4%. Foram realizados 5 cenários sendo também colocados Fernando Haddad (PT), Luciano Huck (sem partido) e Eduardo Leite (PSDB), ficando o presidente Bolsonaro líder em todos os cenários.

O resultado do Datafolha, nesta quarta, aponta Lula (PT) 41%, Bolsonaro (sem partido) 23%, Moro (sem partido) 7%, Ciro (PDT) 6%, Luciano Huck (sem partido) 4%, Doria (PSDB) 3%, Mandetta (DEM) 2%, Amoêdo (Novo) 2%. Já para o segundo turno Lula sairia vitorioso com 55% e Bolsonaro 32%.

O que se sabe é que o resultado e a forma como está procedendo a CPI da Covid-19 irá influenciar na corrida presidencial para 2022. Dois testemunhos importantes serão ouvidos, o do representante da Pfizer que esclarecerá se ouve ou não demora na reposta do Ministério da Saúde para a aquisição de vacinas, como também do ex-ministro Eduardo Pazuello que esteve durante grande período à frente da pasta, principalmente no tocante a aquisição de doses do imunizante.

Ambas as pesquisas foram registradas no TSE, no entanto o resultado tão divergente de ambas, num curto intervalo de dias pode levar o eleitor a questionar sobre a confiança de uma ou outra. Vale ressaltar que a disputa presidencial está ainda a um ano de ser realizada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui