A nossa constante mutação tecnológica

“Canal dedicado exclusivamente para o fluxo de dados de conteúdo educacional […]. Tanto para escolas, que transmitem o conteúdo, como para os usuários que o consomem.”

Por Brigadeiro Bragança

“Cabo submarino que ligará Brasil e Europa é ancorado em Fortaleza”(1). É isso mesmo! Aconteceu em 14 de dezembro de 2020. Trata-se de um cabo submarino de fibra óptica (com 6 mil quilômetros de extensão e até 5 quilômetros de profundidade); um ponto de conexão de internet de alta velocidade com a Europa, que traz a quinta geração de tecnologia para redes móveis e de banda larga, o 5G.

E o 5G tem data para começar a virar realidade; e, conforme noticiado pela Folha de SP(2), o leilão será realizado no fim de junho. Os trabalhos andam a passos largos! Inclusive, os ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), Órgão responsável por fiscalizar a atuação do Ministério das Comunicações e “responsável por acompanhar a escolha da tecnologia 5G pelo Governo Federal e avaliar os aspectos tecnológicos, financeiros, estratégicos e estruturais”, visitaram empresas interessadas na concessão(3).

Mas podemos fazer mais, podemos prosperar mais!

E a implantação da tecnologia de quinta geração (5G) está facilitada, pois o Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão na última quinta-feira, 18 de fevereiro, evitou o encarecimento da telefonia 5G, proibindo “a cobrança pelo uso de vias públicas para a instalação de infraestrutura e rede de telecomunicações”, conforme noticiado pela Folha de SP(4).

E para a nossa economia, “pesquisa realizada pela consultoria OMDIA e NOKIA mostra que a tecnologia pode render até R$ 5,5 trilhões para o Brasil nos próximos 15 anos.”(5). Inovação, com democratização da Internet das Coisas (Iot), possibilitando conexões com utensílios domésticos, carros, roupas ou quaisquer outros produtos. Uma rede muito mais rápida e segura do que esta que temos hoje. E que também será imprescindível para concretizar a 4a Revolução Industrial (tema que será abordado em outro artigo).

Mas podemos fazer mais, podemos prosperar mais!


Leia também: O Legislativo, o Executivo e a solução dos problemas do Cidadão!


E aí surge, em minha opinião, o “ovo de colombo”… uma estratégia virtuosa para o plano de negócios do leilão da rede 5G, registrado em artigo de Maria Helena Guimaraes de Castro e Ronaldo Mota no Jornal O Globo(6), propondo contrapartida, sem custo para o Estado, de “canal dedicado exclusivamente para o fluxo de dados de conteúdo educacional […]. Tanto para escolas, que transmitem o conteúdo, como para os usuários que o consomem.”.

Segundo os autores, propor “nos termos do leilão da rede 5G, como contrapartida às operadoras, livre acesso exclusivamente para a educação, sem custo para instituições educacionais, sejam elas públicas ou privadas, ou pelos usuários educandos.”; a exemplo de proposta de contrapartida para os órgãos de segurança à época do leilão do 4G.

Aí, sim! Falamos de fazer mais, de prosperar mais; pois não é a Educação a razão de ser de uma grande nação?

E você, o que pensa sobre o tema?

Não seria essa uma ótima contrapartida para desenvolvimento de políticas públicas ligadas à Educação?

É um caminho? Então, fica o desafio!

Pois podemos provocar o tema com nossos representantes!

Afinal, podemos fazer mais, podemos prosperar mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui