Câmara e Senado terão eleições hoje para decisão dos novos presidentes

Nesta segunda feira (01) deputados e senadores decidirão a sucessão das duas casas legislativas, Câmara e Senado. Os dois novos eleitos irão suceder os atuais presidentes, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP). A partir da onda de discussões a respeito dos possíveis eleitos, tudo indica que os apoios pelo presidente Bolsonaro sucederão as cadeiras, o deputado Arthur Lira (PP-AL) e o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

O senador Rodrigo Pacheco tem amplo favoritismo na casa, além de também haver muitas declarações de apoio de senadores do MDB (que lidera a maior bancada da casa), sendo possível derrotar sua principal concorrente a senadora Simone Tebet (MDB-MS), que é candidata avulsa, e não como representante do seu partido.

Na Câmara, Arthur Lira segue liderando, e é também o líder do Centrão, no entanto a votação pode apresentar surpresas, pois entre os 513 deputados, pode haver as famosas “traições”, e o apoio migrar para outro no momento da votação. Assim, o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) não é carta fora do baralho.

Disputam a eleição para a presidência da Câmara dos deputados: Arthur Lira (PP-AL) – preferido de Bolsonaro, Baleia Rossi (MDB-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), Capitão Augusto (PL-SP) , André Janones (Avante-MG), Marcel Van Hattem (Novo-RS), Alexandre Frota (PSDB-SP), Luiza Erondina (Psol-SP) e General Peternelli (PSL-SP).

A sessão de votação terá início às 19h e será totalmente presencial. A votação acontecerá por meio da urna eletrônica, onde o voto é secreto. Cada candidato terá 10min para discursar sobre sua candidatura, procedendo para os votos. Para que o candidato vença a eleição no primeiro turno, são necessários os 257 votos a favor. Se nenhum dos nomes conseguirem a marca, será realizada nova votação.

Disputam a eleição para a presidência do Senado os senadores: Rodrigo Pacheco (DEM-MG) – preferido de Bolsonaro, Simone Tebet (MDB-MG), Major Olimpio (PSL-SP), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Lasier Martins (Podemos-RS).

A sessão de votação, no senado, terá início às 14h e será totalmente presencial. Diferente da Câmara, a votação será através de cédulas e com voto secreto. Cada candidato terá 10min para discursar sobre sua candidatura, procedendo para os votos. Para que o candidato vença é preciso alcançar 41 votos a favor. A votação tem previsão de encerramento para às 17h.

A decisão do novo presidente garante com que os trabalhos voltem a acontecer nas duas casas após o recesso de final de ano. O próximo presidente da Câmara terá em mãos muitas pautas para serem tratadas, já para o início deste ano. Como a votação do Orçamento de 2021, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LOA) que deveria ser votada no final do ano passado e o Auxílio Emergencial, como também outras pautas econômicas que estão paralisadas.

Os presidentes das casas terão mandato de 2 anos, e a escolha dos mesmos será determinante para o pleito eleitoral de 2022, principalmente para o presidente Bolsonaro que está apostando muito em seus candidatos, pois acredita que ao ter aliados nas casas facilitará o seu governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui