Após publicação do decreto estadual da lei seca, secretário de saúde de Jaraguá afirma fechamento total de bares e estabelecimentos a partir das 23h

Na noite desta terça-feira (27) o governador do estado, Ronaldo Caiado (DEM), publicou o decreto da lei seca para todo o estado, proibindo o consumo de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, boates e outros locais de festa entre às 22h e 6h. No entanto, mesmo com a determinação estadual, a prefeitura de Jaraguá, através do secretário de saúde, Dr. Wander Belo, anuncia que a cidade terá o cumprimento da lei a partir das 23h em todos os estabelecimentos do município.

“O município de Jaraguá desde o início do ano já se preparou para medidas mais efetivas no combate ao avanço da pandemia, tanto que no dia 18/01, o Comitê de crise e enfrentamento ao covid-19 reuniu-se e através de uma decisão colegiada, foi convencionado a manutenção dos decretos vigentes” afirmou o secretário a equipe do Canal 7.

O secretário ainda disse que as determinações do município não se restringem apenas a lei seca, mas ao fechamento total do estabelecimento, não sendo permitido a comercialização de nenhum produto. E que essa medida fica vigorada a acontecer a partir das 23h.

Wander Belo colocou que a fiscalização irá fazer um trabalho árduo durante esta semana para que seja realizada a conscientização das pessoas, para que entendam a necessidade da obediência do decreto. E que após essa semana, retornará à aplicação de multas para aqueles que descumprirem o decreto.

Caiado explica que a decisão deste novo decreto é algo essencial e urgente para o estado. “Essa segunda cepa tem uma característica que nos preocupa enormemente: a transmissibilidade. Na primeira, a contaminação foi mais lenta. Agora, é muito maior”, explicou. “Isso demanda uma sobrecarga nos hospitais, de oxigênio, medicamentos e tudo mais. Não cabe a um governador, principalmente eu, que sou médico, ficar esperando as coisas acontecerem. Tenho que tomar providências”, pontuou.

O secretário de Estado da Casa Civil, Alan Tavares, garantiu que o trabalho de fiscalização para o cumprimento rigoroso da lei será algo bem atuante. “Desse modo, as autoridades fiscalizatórias locais terão apoio das forças policiais estaduais para adotar as medidas necessárias. Penalização, multa, cassação de alvará, interdição e outras medidas do tipo ficarão a cargo dos municípios”, reforçou.

As medidas que vem sendo tomadas, são para que seja possível o controle de disseminação da covid-19 no Estado, pois o crescente número de casos graves, leva os hospitais a não ter estrutura e aparato suficiente para atender os pacientes. E o secretário estadual de saúde, Ismael Alexandrino, mostra que há uma ocupação de 75% das UTIs e 50% das enfermarias no Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui