Enem-2020 tem índice histórico de abstenção: 51,5%

Neste último domingo (17) aconteceu no Brasil a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O que chamou a atenção foi o índice de abstenção do Enem-2020, que ficou em 51,5%, ou seja, o maior de toda a história, desde o seu início. No entanto, mesmo com esse resultado, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, classifica que o exame foi “algo vitorioso”, devido as condições na pandemia que se enfrenta, e culpou a mídia pelo grande número de ausentes no exame.

Em relação a abstenção o ministro que “em parte pela dureza e questão do medo da contaminação”, mas classifica que outro fator foi em relação a “um trabalho de mídia contrário ao Enem muito grande”.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse que a avaliação foi “tranquila do ponto de vista da saúde sanitária” e também falou da situação dos 11 locais que tiveram possíveis problemas em relação a capacidade de pessoas.

“Tivemos 11 locais de prova com aparentemente alguma dificuldade de os alunos poderem realizar a prova. Qualquer participante que se sentiu prejudicado, a partir de 25 de janeiro, como está previsto no edital, poderá pedir a reaplicação nos dias 23 e 24 de fevereiro”, afirmou Lopes.

Algumas localidades não tiveram a aplicação da prova neste domingo, duas cidades de Rondônia e o estado do Amazonas (que enfrenta uma grande crise da pandemia da covid-19).

No próximo domingo (24), os candidatos retornam novamente aos locais de prova para realizarem a segunda parte do exame.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui